Você é resiliente?

Alianças ao lado de fogo
Foto: Pixabay

Resiliência é… Os mecanismos de busca nos trazem resultados bem similares. Para mim, de forma bem resumida, seria a capacidade de aguentar as situações mais adversas sem jogar a toalha.

Sabe aquela pessoa que ao longo de muitos anos construiu um lindo projeto com você e foi levianamente trocada por outra mais nova durante ou após um momento de crise?

Já ouvimos essa história com os mais diferentes personagens e geralmente eram questões românticas. Homens que trocavam as companheiras de uma vida por outra mais jovem.

Hoje temos novas configurações desse cenário, incluindo o inverso e também na questão profissional: empresas que demitem colaboradores antigos pelas promessas e olhos brilhantes da nova geração tão cheia de respostas e pouco afeita a comprometimentos.

Pois é, queria te contar que quem fez a troca também pode ser trocado(a) se aparecer algo melhor e mais tentador num curto espaço de tempo.

Não é por maldade, é comportamental.

Sim, os jovens não têm mais a paciência de outrora para nada.

A nova geração quer tudo para ontem e não dá tempo para que as coisas aconteçam.

Fazem isso nas relações pessoais e profissionais.

Apesar do brilhantismo, terão que rever alguns conceitos.

Os jovens, no entanto, não estão sozinhos nessa pressa.

Somos todos vítimas desse mal e precisamos aprender com a natureza que sabiamente nos ensina que existe um tempo para que tudo dê fruto e se fortifique.

As coisas não se criam do dia para a noite!

A ansiedade faz com que joguemos no lixo muitas histórias que poderiam ser lindas!

Os resilientes geralmente constroem relações longevas, não desistem de sonhos e projetos e raramente deixam alguém para trás.

Aguentam muita coisa, mas uma hora a barreira explode, trazendo consigo alguns problemas de saúde porque esse processo não é simples.

É fato que uma pessoa que acredita que as coisas se constroem com o tempo e que por isso não desiste de nada nem ninguém durante esse processo de amadurecimento, consegue construir mais que as demais.

Acontece que a decisão de interromper um projeto ou relação não depende só de quem é capaz de aguentar mais e para o resiliente, ser abandonado depois de ter se doado tanto, é uma dor absurda.

Desse descompasso muitas relações terminam prematuramente, demissões são feitas, projetos são abandonados.

No final todos perdem. Existe certo e errado? Difícil afirmar.

Você investe e dá tempo para a relação se fortificar? Quão persistente você é?

No campo profissional, você como líder, dá o tempo necessário para que os processos se concretizem?

A reflexão pode evitar muita dor e decisões equivocadas.

 

Deixe seus comentários e se gostar indique aos amigos.

#Estamosjuntos

Compartilhe este post com seus amigos:
Dê sua opinião:
0 0

Comente!

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese