Perdi o emprego, e agora?

mulher triste e pensativa
Foto: Pixabay

O emprego ou a falta dele pode afetar nosso estado emocional de forma impactante. Mas é possível superar esse momento difícil.

 

A dor do desligamento não pode ser mensurada.

Vai muito além da questão óbvia, atinge o ego, atinge a autoestima, bate aquele sentimento muitas vezes de traição e injustiça, vem aquela sensação de vazio e a preocupação com compromissos e com a imagem perante uma sociedade que julga e é preconceituosa.

O desemprego não pode ser tratado por você como uma doença, não pode ser visto como um fim de linha e sim como um desvio da vida para um caminho ainda desconhecido.

O baque. Até que a “ficha caia”, muitas coisas passarão na cabeça. Neste momento é fundamental alguns comportamentos:

1 – Compreenda que o que não pode ser resolvido deve ser administrado.

2 – Organize as ideias e tente de forma racional, extrair o que for de útil em meio a esta dor (quedas ensinam).

3 – Organize ideias e comece a organizar a nova estratégia de recolocação. Se possível, conte com um apoio profissional. Tem muitos bons colegas no mercado e que podem ser úteis.

4 – Informe a sua rede de contato e de forma equilibrada (sem excessos, sem loucuras) comece a trabalhar opções que considera mais viável.

5 – Faça uma comparação com colegas do mercado e use tempo para corrigir rota, gaps quanto a qualificação e cursos.

6 – Aproveite para avaliar mudanças pessoais também. Muitas vezes o trabalho nos cega e vamos acumulando coisas pessoais a serem feitas.

7 – Aproxime-se mais e mais de Deus, apenas ele pode fazer certas coisas por você.

8 – Inclua em sua rotina exercícios físicos e cuide da alimentação, isso fará muita diferença neste processo, acredite. Esteja bem consigo.

9 – Analise sites de emprego e redes sociais para que a internet seja um agente a seu favor dentro deste processo.

10 – Analise todos os gastos e adeque a sua nova realidade momentânea.

O processo de adaptação é doloroso, mas pode ser amenizado e quanto antes vem a recuperação, também antes vem a retomada.

O ideal é que alguns pontos como o equilíbrio financeiro e qualificação profissional, sejam prioridades enquanto trabalhamos, mas nem sempre é assim, então tire lições para a sua vida, deste momento que apesar de amargo, fortalecerá você.

Aceite o momento, ore para que sejam jogados fora os “entulhos” que carrega, perdoe (sem romper laços com passado não conseguirá escrever novas páginas), junte as peças e monte seu novo caminho.

O QUE NÃO MATA, FORTALECE.

Vale até mesmo uma reflexão se não é o momento de tentar colocar em prática aquele velho sonho de empreender, concorda?

De cabeça erguida e com Deus no coração, SIGA FIRME PARA SUAS NOVAS CONQUISTAS.

Uma boa semana a você.

Ronaldo Cerqueira

Compartilhe este post com seus amigos:
Dê sua opinião:
4 0

Comente!

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese