O LinkedIn não é para todos? E as vagas, por que não me chamam?

Menina sorrindo ao lado de quadro negro em que está escrito nunca desista em inglês
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Tem profissionais que acham que o LinkedIn não é para todos. Quem? Aqueles que acreditam que são para o LinkedIn. São pessoas que se sentem excluídas, estão na zona de conforto, felizes com o que tem, com visão limitada do futuro e/ou sem grana para investir na carreira.

Mas quem disse que não é POSSÍVEL?

Ninguém tem o poder de rebaixar ninguém. Essa sensação de se sentir “por baixo”, inferior aos demais, é sua. O fato de uma pessoa saber mais ou ter um cargo maior que o seu, não faz dela uma pessoa melhor nem pior. Há pessoas simples maravilhosas e executivos monstruosos.

A causa dessa sensação de inferioridade é baixa autoestima e pouca autoconfiança, o que se resolve com DESENVOLVIMENTO PESSOAL.

Aumentamos nossa AUTOESTIMA quando confiamos mais em nós mesmos. E AUTOCONFIANÇA a gente adquire com AUTOCONHECIMENTO, ou seja, conhecer a si próprio, do que você é capaz, onde é mais forte, trabalhando seus pontos fracos.

Adquirir novos CONHECIMENTOS e COMPETÊNCIAS também ajuda muito, pois além de trazer mais segurança, nos destaca no mercado de trabalho e nos diferencia de nossos concorrentes.

Como descobrir as COMPETÊNCIAS que eu preciso para ser contratada?

Vamos ver um caso genérico de um profissional hoje desempregado, cuja última função foi Auxiliar Administrativo. Já trabalhou com atendimento ao cliente e operações de caixa. Possui Ensino Médio e seu sonho é fazer uma faculdade de Administração. Possui conhecimentos médios de Office, inglês básico, é bem comunicativo e trabalha bem em equipe. Seu objetivo atual é atuar na área Administrava ou Atendimento ao Cliente, para poder pagar a faculdade.

Vamos desenvolver aqui um exemplo, que pode ser adaptado para qualquer cargo.

Com uma simples busca no Google, eu descubro que um Auxiliar Administrativo possui as seguintes responsabilidades:

  • Conhecer a empresa onde trabalha e o que cada pessoa faz
  • Receber correspondências e documentos
  • Controlar as contas a pagar
  • Emitir notas fiscais
  • Preparar e encaminhar documentos e atas
  • Tirar cópias
  • Enviar documentos para o departamento contábil e fiscal
  • Atender telefonemas e esclarecer dúvidas
  • Elaborar e apresentar relatórios financeiros e apresentações
  • Organizar viagens, reuniões e eventos
  • Coordenar as compras de materiais
  • Elaborar orçamentos e controlar estoques
  • Pagar contas e faturas
  • Manter organizados arquivos e cadastros
  • Sugerir novos métodos de trabalho

Que envolvem as seguintes competências:

  • Atenção aos detalhes
  • Capacidade de concentração
  • Atendimento ao público
  • Organização
  • Solução de problemas
  • Facilidade em lidar com tecnologia (computadores, celulares etc)
  • Dinamismo/Agilidade
  • Determinação
  • Saber trabalhar sob pressão
  • Saber guardar sigilo de informações confidenciais
  • Administrar bem o tempo e saber priorizar tarefas
  • Facilidade com números e cálculos
  • Domínio das regras básicas do Português
  • Boa comunicação, de forma clara e direta
  • Habilidade de relacionamento com pessoas diferentes
  • Facilidade de adaptação a mudanças (de ambientes, tarefas, pessoas)
  • Boa memória
  • Ser confiável, responsável e proativo (ter iniciativa)

 

Você já viu uma vaga tão detalhada assim? Não mesmo.

O que se espera do candidato é sempre muito mais do que está descrito em uma vaga. Cabe a você descobrir realmente o que a empresa quer e SE PREPARAR para conquistar a vaga. Mas antes, vamos falar sobre como adquirir as competências que você precisa.

Você precisa de TODAS essas competências para conquistar uma vaga? Também não.

Algumas você pode desenvolver, outras talvez nem seja necessárias naquela empresa, mas tudo irá depender do cargo, dos valores e da cultura da organização.

 

Como DESENVOLVER UMA NOVA COMPETÊNCIA?

A maneira mais eficiente é com TREINO. Quanto mais praticar, melhor fica. Se precisar começar do zero, leia sobre o assunto e faça cursos. Livros podem ser caros, mas há resumos online, alguns livros disponíveis para download e versões mais baratas para ser lido online. Você também pode tirar um tempo para ler os livros em uma biblioteca na própria livraria (algumas permitem).

Existem sites que oferecem cursos online gratuitos para tudo o que você possa imaginar. Destaquei vários no artigo Não tem mais desculpa! Atualize-se de graça. É só clicar e conferir.

Mas eu não ia deixar de destacar alguma competência, principalmente a que eu vejo que mais falta, o INGLÊS.  Como assim, tem curso de graça de inglês e ainda por cima online? Tem. E de Espanhol, Italiano, francês, alemão… Conheça o Duolingo.  Há outros, ok? Descubra.

Espere aí, Cris… Como vou aprender a ter concentração? A concentração melhora quando você treina também a memória. Experimente buscar no Google por “curso online gratuito” + memória ou qualquer outra palavra que você esteja buscando. Para a memória, também é bom fazer quebra-cabeças e jogar palavras cruzadas.

Agora só falta você descobrir as competências que precisa desenvolver e se dedicar a trabalhar nelas.

Use o LinkedIn para AJUDAR VOCÊ A SE RECOLOCAR

Agora que você já melhorou seu autoconhecimento e aumentou sua autoestima, vamos trabalhar o seu LinkedIn.

Seu currículo é a chave para ter um perfil que saiba apresentar suas qualificações e competências. Aprenda aqui a valorizar seu currículo.

Configure seu perfil de acordo com seu currículo e aproveite para mostrar um pouco mais sobre sua vida profissional, com recursos como colocar seu CV em pdf na seção Sobre, incluir fotos e documentos nas suas experiências, cadastrar seus projetos, trabalhos voluntários (se tiver) e cursos que você fez (inclusive os gratuitos).

Capriche na sessão Sobre: Como destacar o seu Resumo.

Tarefas semanais:

  1.    Veja as publicações e notícias. Curta e comente as que estão relacionadas à sua área de atuação e IGNORE as que não estão relacionadas ao seu objetivo.
  2.    Publique ou compartilhe algo relacionado à sua área de atuação. Sua rede precisa conhecer você e saber do que é profissionalmente capaz.
  3.    Consulte quem viu seu perfil e entre em contato, mas sem pedir emprego de primeira. É assim que começamos novos relacionamentos.
  4.    Adicione à sua rede profissionais da sua área de atuação, RH e headhunters. Siga, se preferir.
  5.    Quando novas conexões aceitarem você, envie uma mensagem personalizada de boas-vindas.
  6.    Procure por vagas.
  7.    Procure por empresas do seu interesse e siga.
  8.    Nessas empresas, procure por profissionais de RH e da sua área de atuação. Conecte-se com eles.
  9.    Siga empresas de RH e consultorias de recrutamento.
  10.  Vote nas competências das suas conexões e peça votos para as suas competências. Aprenda aqui Como aumentar suas chances de ser encontrado pelas suas competências.
  11.  Solicite recomendações das pessoas com quem você trabalhou. Recomende também.
  12.  Pelo menos uma vez por semana, atualize seu perfil. Mude algo na sessão Sobre, para seu perfil ser compartilhado com sua rede.

Fez tudo? Comece outra vez!

Investir na carreira dá trabalho. Procurar emprego também.

Mas ninguém vai fazer isso por você. 

 

Cristina Moutella – Consultora da Carreira, Desenvolvimento Profissional e Transformações Pessoais. Ajudo você a dar um up na sua carreira e atingir seus objetivos. Entre em contato.

 

Share This Post
Dê sua opinião:
0 0

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>