Guia de conduta das empresas

Relações de trabalho devem ser permeadas por respeito, direitos e deveres de ambas as partes.

Em uma relação saudável, todos ganham e a empresa é beneficiada com um colaborador mais eficiente, dedicado e focado no crescimento e sucesso da mesma.

Infelizmente não é isso o que vemos em algumas instituições.

Com um grande número de desempregados e desalentados, a relação entre quem oferta e quem busca por uma recolocação, fica ainda mais enfraquecida para os que estão em busca de uma oportunidade.

Os que estão trabalhando também sentem a pressão pois muitas vezes são confrontados com ameaças de que está difícil arranjar emprego. E essa máxima acaba sendo utilizada em abusos de toda a espécie.

Se são procedimentos dos recrutadores ou práticas das empresas, não sabemos. Seja como for, não podem existir.

Entendemos que esses comportamentos não são éticos e que não há espaço para isso nos dias atuais.

Com certeza não é uma regra geral, mas infelizmente algumas empresas têm aproveitado do poder que possuem e da fragilidade das pessoas para exercer uma conduta que não condiz com práticas aceitáveis.

E realmente não precisamos aceitar. Juntos, temos esse poder!

Nesse contexto a Engaging gostaria de jogar luz nessa questão.

Só com transparência poderemos entender quais são as boas e as más empresas antes mesmo de nos candidatarmos para uma vaga.

Para as empresas, será uma oportunidade de entender e arrumar o que estiver errado de forma que não danifique sua imagem.

Nossa proposta é criar um grande banco de dados feito por meio de informações e experiências vividas por cada um de nós.

Para isso seria necessária a participação de todos, alimentando o documento  que ficaria disponível para consulta.

A pessoa não teria sua identidade divulgada publicamente, mas precisaria dar informações precisas. Para ter acesso, é necessário ter cadastro na Engaging.

Vamos nessa? O poder é todo nosso!

RESPONDER PESQUISA