Dicas para cortar despesas do seu orçamento

calculadora, moedas e equipamento de medição sobre mesa de trabalho
Foto: Pixabay
Compartilhe!

Despesas são sempre grandes vilãs em qualquer orçamento. Conhecê-las é o primeiro passo para o seu devido controle.

Cortar despesas do orçamento não é simples, mas é possível. Implante as dicas desse texto na sua rotina e veja a diferença.

  • Compras:

Nunca faça uma compra por impulso ou fora do seu planejamento. Se a tentação for realmente grande, lembre-se de se questionar: “ Eu realmente preciso disso? “

Vá ao mercado com uma lista. Isso ajuda a manter o foco no que é realmente necessário.

  • Cartões de crédito:

Os cartões podem ser uma maneira segura para fazer compras. No entanto, se utilizados indevidamente, eles podem se tornar um grande pesadelo.Não é só a fatura do cartão de crédito que você não deve atrasar; é qualquer uma. Planeje e programe lembretes para não esquecer, pois em hipótese alguma você deverá pagar juros por atraso.

A Mobills – Portal de educação financeira e finanças pessoais gratuitas – , listou os piores erros que você pode cometer com o cartão de crédito:

  1. Não utilizá-lo de maneira estratégica

Cartões de crédito oferecem mais proteção aos consumidores, além de funcionarem como intermediários quando você tem disputas com varejistas ou prestadores de serviços. Muitos cartões também oferecem vantagens adicionais, tais como substituição de objetos que foram roubados e prolongar o tempo de garantia de um determinado produto.

Dessa maneira, você deve utilizar cartões de crédito para todas as compras importantes e para transações que envolvem um alto risco de fraude como, por exemplo, compras online ou em postos de gasolina.

  1. Esquecer de efetuar pagamentos

Quer ver o seu score de crédito cair 100 pontos ou mais de uma só vez? Deixe de efetuar o pagamento de uma fatura do seu cartão de crédito.

Pagar com alguns dias de atraso significa pagar juros, mas efetuar o pagamento após 30 dias significa, para a fórmula do score de crédito, que você está com sérios problemas (mesmo que você tenha apenas esquecido o pagamento nesse mês).

Para complicar ainda mais as coisas, pagar com 30 dias ou mais de atraso, dependendo do valor da sua fatura, pode fazer com que sua dívida vire uma bola de neve nos próximos meses e que você fique totalmente endividado com o seu cartão de crédito.

  1. Estourar limite do cartão

Uma boa parte do seu score de crédito vem do quanto do crédito disponível você está usando. Quanto menos utilizar, melhor. Estourar o limite do cartão, mesmo que você pague o total da fatura depois, pode prejudicar o seu score de crédito.

Uma opção é dividir os seus gastos entre cartões de crédito e débito e não passar de 30% do valor do limite do seu cartão. Se você quer melhorar o seu score de crédito, tente manter-se sempre entre 20% e 30% do limite do cartão.

  1. Efetuar somente o pagamento mínimo

Se tem algo pior do que estourar o limite do cartão de crédito, é pagar somente o mínimo. Nem mesmo as emissoras de cartão de crédito gostam desse tipo de comportamento, pois isso pode significar que você está em uma má situação financeira e mais propenso a parar de pagar suas faturas.

A fatura do seu cartão mostra exatamente quanto irá custar para pagar seu saldo atual se você paga somente o mínimo. (Dica: É muito. Você vai pagar mais em taxas do que você realmente pegou emprestado, o que significa que você pagará duas vezes mais por tudo o que comprar.)

  1. Não conferir a fatura

Muitas pessoas não se dão conta do custo dos pagamentos mínimos que aparecem em suas faturas, porque nunca se preocupam em olhar direito para elas. Péssimo hábito!

Se você não comunicar os erros e as transações fraudulentas prontamente, poderá ter problemas para ser reembolsado depois.

  1. Ignorar recompensas

Se você não tiver um controle poderá perder os descontos, recompensas em dinheiro, milhas de viagem e outros benefícios oferecidos por alguns cartões de crédito. Caso você ainda não tenha atentado para essa possibilidade, procure saber se o seu cartão oferece estas vantagens.

Apesar dos benefícios, não vale a pena gastar mais do que você pode pagar cada mês. E evite ficar tentado de gastar mais para conseguir mais recompensas. Gastar o que você normalmente gasta para receber benefícios é o certo, mas gastar mais do que o normal para conseguir recompensas é um desperdício de orçamento.

Os cartões de crédito são uma parte crucial quando se trata da nossa saúde financeira. Infelizmente, muitas pessoas só aprendem a maneira correta de administrar seus cartões de crédito depois de enfrentarem graves problemas relacionados a eles.

Por outro lado, hoje em dia, existem mais informações sobre crédito do que no passado, felizmente, e os consumidores podem aprender como dominar os cartões de crédito antes mesmo de ter seu primeiro cartão.

  • Empréstimos

Em momentos de crise, a priorização dos gastos é fundamental. Concentre-se no que é essencial e evite os supérfluos.

Se você tem algum dinheiro sobrando em conta, não deixe ele parado. Avalie as necessidades de curto, médio e longo prazos e procure opções de investimentos que possibilitem um fluxo de caixa dinâmico.

Economize sempre que for possível. Trace metas mensais e aumente o percentual na medida que sua vida volte ao normal e você tenha uma sobra maior de dinheiro.

Empréstimos podem ser a única opção em alguns momentos da vida, mas devem ser vistos com atenção. Cuidado com as taxas de juros, o tempo total de pagamento, as multas no caso de inadimplência, o valor final que você acaba pagando entre outras questões.

Se você for mesmo tomar um empréstimo, pense bem sobre como seus pagamentos se encaixarão em seu planejamento financeiro no futuro.

  • Bancos

Uma conta bancária livre de tarifas? É provável que o seu gerente de banco nunca tenha te contado isso, mas uma conta gratuita com serviços essenciais é um direito de todo brasileiro. Quero, como faz? É só ir pessoalmente até a sua agência e solicitar a tarifa zero.

“Em um mercado cada vez mais disputado, decidir em que instituição abrir uma conta e qual modalidade ou pacote escolher pode exigir mais tempo de pesquisa dos clientes. A concorrência no sistema financeiro aumentou especialmente após a entrada das fintechs no jogo, com suas contas digitais que, em alguns casos, podem chegar a ter custo zero para pessoa física.” “Digital ou tradicional: qual a melhor conta para você?” Avaliem com atenção o que é melhor para a suas necessidades!

  • Aplicativo de controle de finanças

Só é possível controlar o que se mede. Registre as receitas e as despesas do seu dia a dia, sejam elas em dinheiro ou cartão. Aplicativos para orçamento:

  1. ZeroPaper
  2. Guiabolso
  3.  Idec
  • Carro

Embora ter o próprio carro signifique prazer, comodidade, e liberdade de locomoção, muitas vezes, dependendo do seu estilo de vida, um carro não é tão necessário assim e pode ser vendido em caso de aperto monetário.)

O serviço feito pelos aplicativos pode ser uma ótima solução temporária ou não. Veja material da Infomoney sobre o assunto.

Esse serviço está mais regulamentado, impondo mais regras que visam melhorar a experiência do a usuário

Carros compartilhados também são uma opção. De um modo geral, os carros ficam em estacionamentos e você pode escolher um que seja mais próximo de você. Ao terminar de usar, devolva no mesmo estacionamento de onde o retirou e tranque-o através do App. Você paga pelo tempo utilizado e a quilometragem percorrida.

Em algumas empresas é possível também colocar seu carro para ser alugado. Assim, você pode complementar sua renda.

  • Transporte coletivo

O trabalhador demitido sem justa causa há no mínimo um mês e no máximo seis meses, desde que tenha trabalhado pelo menos seis meses contínuos no último emprego com registro em carteira, tem direito à isenção tarifária nos sistemas de transporte coletivo sob responsabilidade do Estado (Decreto Estadual nº 32.144 de 14/08/90 e Resolução da Secretaria dos Transportes Metropolitanos nº 25 de 28/03/2003). Veja mais.

  • Celular

Negocie com sua operadora e adeque o plano a sua nova realidade. Evite ligações desnecessárias e sempre utilize o wifi de lugares públicos para que não tenha que utilizar toda a sua franquia antes do tempo.

  • TV por assinatura

Independente do seu plano, com certeza você pagará muito menos se optar por uma assinatura via streaming. O Canaltech fez um artigo com os melhores serviços de streaming de vídeo disponíveis no Brasil.

  • Remédios

A questão de saúde sempre tem um impacto no nosso orçamento e geralmente é algo inesperado e nos pega de surpresa. Em relação aos medicamentos, você pode atenuar os gastos com as seguintes opções: comprando diretamente dos laboratórios ou pela Farmácia Popular.

Alguns planos de saúde oferecem descontos nas farmácias.  Pesquise sempre e compare os preços antes!

  • Plano de Saúde

Uma das principais preocupações entre os brasileiros que estão nessa situação e que desfrutavam de benefícios garantidos pela empresa é a manutenção do plano de saúde privado. Em muitos casos, é possível manter o plano de saúde empresarial após o desligamento, desde que o ex-funcionário arque com as despesas que eram descontadas do salário.

Veja a seguir as orientações:

Aposentados e demitidos: O aposentado ou o ex-empregado exonerado ou demitido sem justa causa, que contribuía para o custeio do seu plano privado de saúde, tem o direito de manter as mesmas condições de cobertura assistencial de que gozava quando da vigência do contrato de trabalho, sem prejuízo de eventuais vantagens obtidas em negociações coletivas.

A empresa empregadora é obrigada a manter o aposentado ou o ex-empregado demitido ou exonerado sem justa causa no plano enquanto o benefício for ofertado para os empregados ativos, desde que o aposentado ou o ex-empregado demitido ou exonerado sem justa causa, tenha contribuído para o custeio do seu plano privado de saúde e que o mesmo não seja admitido em novo emprego.

A decisão do aposentado ou o ex-empregado demitido sem justa causa de se manter no plano deve ser informada à empresa empregadora no prazo máximo de 30 dias contados a partir da comunicação do empregador sobre o direito de manutenção do gozo do benefício.

Para que o aposentado ou ex-empregado demitido ou exonerado sem justa causa seja mantido no plano devem ser observadas as seguintes condições:

  1. Ter sido beneficiário de plano coletivo decorrente de vínculo empregatício.
  2. Ter contribuído com pelo menos parte do pagamento do seu plano de saúde.
  3. Assumir o pagamento integral do benefício.
  4. Não ser admitido em novo emprego que possibilite o acesso a plano privado de assistência à saúde.
  5. Formalizar a opção de manutenção no plano no prazo máximo de 30 dias, contados a partir da comunicação do empregador sobre o direito de manutenção do gozo do benefício.
  • Escola

Nem sempre é possível dispor do montante para negociar com a escola o pagamento anual à vista. Muitas vezes essa opção pode ser vantajosa em relação ao que você ganharia em uma aplicação.

Caso você tenha mais de um filho, pode também solicitar desconto.

Pais demitidos também podem conseguir algum tipo de negociação diferenciada.

  • Material escolar

Quanto ao material escolar pesquise e compre o que for possível em Novembro. A economia pode chegar até 7% (Associação Brasileira da Indústria Gráfica). Produtos licenciados costumam ser mais caros.

  • Cursos

Você possivelmente verá a necessidade de fazer alguns cursos que lhe ajudem a voltar ao Mercado mais rapidamente. Esse investimento, embora extremamente importante, pode comprometer parte importante de seu orçamento.

Ao avaliar as suas necessidades, lembre-se de buscar opções gratuitas na internet. Nem sempre é o ideal, mas pode lhe ajudar.

Para lhe ajudar, criamos uma página com a indicação de cursos para que você possa avaliar sua necessidade e opções de locais (presenciais e online) para buscar esse aprimoramento.

Para os filhos, que geralmente fazem curso de línguas extracurriculares, uma opção são os cursos feitos por aplicativos. É possível encontrar opções gratuitas que substituam as escolas convencionais por um período. Pesquise bem!

  • Sites de suporte ao consumidor

Consumidor.gov.br foi desenvolvido pela Secretaria Nacional do Consumidor – Senacon, do Ministério da Justiça, e é monitorado em conjunto com os Procons, Defensorias Públicas, Ministérios Públicos, Agências Reguladoras, entre outros órgãos públicos, e também por toda a sociedade.

 

Compartilhe suas experiências!

Engaging. Estamos Juntos!


Compartilhe!
Share This Post

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>