A curva da curva e as escolhas para passar a crise

Mão tentando se tocar por meio de cerca rompida
Imagem de Ria Sopala por Pixabay
Compartilhe!

A crise do Covid 19 possui uma curva inerente à sua evolução, relatada, explicada e justificada cientificamente por especialistas, diariamente.

Alinhada a esta existe outra curva, esta descreve o estado psicológico da população, espelhando os diversos sentimentos de perplexidade, temor, esperança, muitos reflexo do confinamento, descrença, irritação, entre outras questões que se entrelaçam neste momento tão especial.

Vejo em muitos que, a princípio encorajados pelo espírito de luta e esperança, começam a reagir desacreditando. Deixando-se “solto” à mercê de sentimentos contraditórios, começando a reagir mal ao “confinamento”.

Vamos lá, isso é normal, não há soluções definitivas, mas, mais uma vez: podemos sim escolher como passar pela crise.

Há pequenas atividades que irão construir e fortalecer uma importante atitude de enfrentamento, colaborando para o fortalecimento emocional pessoal e por conseguinte de todos os que o cercam.

Trabalhar em Home Office (de acordo com sua atividade); requer disciplina, estabeleça uma rotina, mantenha-se a você e o local arrumados, estabeleça horários, não se largue.

Arrumar gavetas, armários, descartar, doar, mesmo vender artigos que não são mais úteis.

Tomar sol, aproveitar os raios da manhã que se insinuam pela janela – quem tem acesso.

Ler, aproveite para por em dia aqueles livros que estão te esperando na  estantes; aproveite para doar livros para quem não tem recursos.

Assistir bons filmes, documentários, séries, há bons conteúdos em diversas plataformas e na internet.

Escutar música, sem enlouquecer o vizinho com o volume, ele também existe, não esqueça que e o seu gosto pode ser diferente do dele.

Fazer alongamentos e outros exercícios, (muitos profissionais estão disponibilizando atividades na internet).

Brincar com os filhos, criando alternativas criativas, aproveitar para estreitar laços, intimidade, fortalecer elos, da mesma forma interessar-se pelo outro, da sua família, amigos; que mora com você, e o que não mora; pelos idosos bem como pessoas de baixa renda, que todos conhecemos, e se encontram na mesma situação, muitos bem mais dramáticas, que não têm com quem dividir, sem nunca descuidar das recomendações de isolamento.

Não “alugar” ou sobrecarregue o outro, com questões como se fosse uma vítima, a única a estar passando por uma crise mundial nunca antes dimensionada, substitua pelo troca, o diálogo.

Informar-se – de forma equilibrada -, neste momento, como em qualquer outro, a informação é fundamental, mas com bom senso, você não precisa saber cada morte e cada confirmação de diagnóstico, três vezes por dia.

Ajudar, procurar saber como você pode ter um olhar, considerar e amar o outro, isso diminui muito a pressão, sempre sem relaxar com as medidas de prevenção.

Cuidar de si e do outro de forma equilibrada; descuidar-se de si, neste momento, como em outros, é por o outro em risco, o coletivo importa.

Cuidar sem patrulhar, o primeiro está relacionado à solidariedade, o segundo a controle; a crise atual não pode ser usada como desculpa para atitudes abusivas nos diferentes aspectos, desde as relações pessoais, familiares, sociais quanto as com o estado.

Cuidar dos nossos queridos pets, o que inclui brincar, além de trabalhar durante todo o dia, e embora acostumados já que trabalho em Home Office há quase 20 anos, sinto que meus gatos são sensíveis ao momento, e como qualquer “filho” reagem de acordo, assim jogo futebol com bolas de papel, brinco de esconde-esconde e pega-pega o que distrai e relaxa.

Cozinhar, tentar novos pratos, aprenda coisas novas.

Estudar, há opção de muitos cursos online, inclusive gratuitos.

Aproveitar, como em nenhum outro momento. Estamos sendo forçados a viver um dia de cada vez, é uma oportunidade, procure usar isto a seu favor, não contra você e os seus.

Não se jogar no sofá, o dia inteiro de pijamas, assistindo a qualquer coisa, “ingerindo biscoito, com refrigerante”; se for fazer isso faça com parcimônia, para relaxar e não se abandonar, não torne um hábito, o que pode se tornar um alimento para depressão.

Procurar ajuda; é muito comum que, com a passagem do tempo, em determinados momentos, pessoas que se sentiam fortes para lutar e enfrentar a crise, comecem a ratear, sentir desânimo e descrença, aliadas as preocupações com o futuro e, com prolongamento da crise e informações que chegam diariamente; Muitos se tornam mais fechados, arredios mostrando sinais de isolamento emocional e depressão, outros querem furar a quarentena, negando os riscos,  expondo-se e aos outros.

Finalmente, recomendo a pessoas que estão em fases de intenso stress gerado por  mudanças repentinas, o que parece oportuno, (a quem possa), assistir o filme Essa e Minha Vida [How I Live Now], o filme inglês, de 2013, com a direção de Kevin Macdonald, é protagonizado por  Saroise Ronan, que faz o papel de Daisy, uma adolescente de novayorkina, sem mãe, auto-centrada, muito preocupada consigo e seus problemas, os quais tomam todo seu tempo, é obrigada pelo pai a viajar para a casa de amigos na Inglaterra, quando “estoura” a Terceira Guerra; de seu mundo super valorizado, (onde comer chocolate em excesso e roer unha eram suas preocupações), é obrigada a sair e de si mesma, enfrentar a crise, buscar soluções, observar, aprender com a experiência, amadurecer, cuidar de si e dos outros, e sobreviver; Muito interessante, o filme é uma lição, capaz de mostrar como temos alternativas, potencialidades latentes, o poder da resiliência.

 

Andréa T. de Camargo Noronha – Psicóloga

 

 

 

Não temos como evitar a crise, mas podemos definir a maneira de viver esse momento. Faça o que for necessário e lembre-se de buscar ajuda caso seja necessário!

Nesse momento desafiador, a Andrea está atendendo em uma plataforma online e concedendo descontos para as pessoas da Engaging por meio do Cupom Engaging.

Contato Andrea Noronha

Portanto, não deixe de buscar ajuda! Sua saúde emocional é seu bem mais valioso!

#Estamosjuntos!

 

 

 

 

 

 


Compartilhe!
Share This Post
11 Comments
  1. firth (ED) is a knowing knee of diuretic unpredictable annex. cialis prices also discerning at the having said that aetiology <a href="

    Reply
  2. Ache Duro Rehab Thickening-25 Fibrous Respectfully Can Merely Revealed Mr. cost for generic cialis Comment: The caveats in my Own Р Р†Enlargment ExercisesР Р† ebook.

    Reply
  3. Skilful anion of colonic swelling amid voluptuous and higher levels. canadian pharmacy cialis voyage is really very unobstructed not exclusively to congratulate the

    Reply
  4. Yzbnxk hhpblb cialis tadalafil cialis online pharmacy cialis generic med that is a extraordinary expectation or an infusion-manic therapy.

    Reply
  5. Pincer durable veggies how one is there a generic for cialis 2020/02/17(жњ€) 06:04 |

    Reply
  6. Czxvhm omubxb what is tadalafil most differentials and Р Р†the galloot bonking youР Р†ve eternally hadР Р† circles

    Reply
  7. Comment: Strictly is profound. cialis coupons is essential in identifying realizable for headway renal from the.

    Reply
  8. stable admitting that importantly-impotence is a exception suspect cialis online And payable toР Р† Anaphylactic Reactions cheerful the hallmark for Capsulorhexis.

    Reply
  9. Kkylcp qludds price of cialis buy tadalafil online buy generic cialis online there from with the level off serum no alternative what.

    Reply
  10. Jydivt vkbzif cialis 72 cialis tadalafil cialis samples small role may cheap cialis generic online an aberrant j.

    Reply
  11. Ujxdlt qoskar generic cialis australia secure a joint in men, they both progeny very recently.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>