4 ações que as empresas podem fazer para aumentar a motivação de seus funcionários

Placa de motivação: Faça o dia grande!
Imagem de Alexas_Fotos por Pixabay

Você sabia que muitas coisas precisam ser feitas para nos sentirmos motivados, mas basta uma para matar toda motivação?

Uma única atitude ruim de uma empresa, representada pelos seus líderes, pode matar a motivação de um funcionário ou uma equipe. Por exemplo, quando a empresa manda o funcionário fazer uma tarefa e depois desfazê-la. Ele vê que aquilo não o levou a lugar algum, seu cérebro entendeu que gastou energia desnecessariamente e, portanto, entende que não vale mais a pena fazer aquilo, cai a dopamina e interpretamos como punição, resultando então na falta de motivação para realizar aquela tarefa. Por isso, este tema deve ser analisado e tratado com muito cuidado pelas organizações.

Mas o que as empresas podem fazer para aumentar a motivação de suas equipes?

Uma ação fundamental é a capacitação da liderança, pois a principal causa de burnout é o gestor ruim.

Muitas vezes as empresas nomeiam os funcionários que têm melhor desempenho para serem líderes, porém, elas esquecem de avaliar se o funcionário quer ter uma equipe e se ele está capacitado para assumir uma.

O funcionário é tão bom tecnicamente que se subentende que se ele tiver uma equipe, irá deslanchar o departamento. Isso não acontece em todos os casos, pois ser bom tecnicamente é muito diferente de ser bom com uma equipe.

Por isso, ao promover alguém para um cargo de gestão é fundamental entender se ele tem perfil de especialista ou generalista e se está qualificado para tal.

Outro ponto importante é que algumas empresas acreditam que o único ou maior fator motivacional é o reconhecimento financeiro, este pode funcionar a curto prazo, mas a longo, não.

Somos seres sociais, portanto, as pessoas gostam de motivação social, ou seja, reconhecimento público é uma das coisas que faz com que as pessoas se sintam motivadas, desde que esse reconhecimento seja genuíno e que o funcionário acredite que fez o melhor.

Uma necessidade que nós seres humanos temos, é o de justiça e aí entra o terceiro ponto.

As vezes a empresa abre uma vaga e acaba contratando alguém de fora da ao invés de promover alguém internamente, o que não há problema algum, desde que os funcionários enxerguem que foi um processo justo.

Como fazer isso? Deixar claro, ao abrir a vaga, quais são os requisitos mínimos, perguntar às pessoas se alguém tem interesse na vaga, verificar se tem os requisitos e se não tiver, fazer um plano de desenvolvimento.

A transparência minimiza a sensação de violação de justiça.

Por fim, todo mundo sabe que as pessoas ficam apreensivas quando o líder chama para fazer a avaliação de desempenho, pois essa conversa pode definir seu futuro na empresa, por isso, quanto mais tranquilo este momento, melhor.

Quando estamos nessa situação, liberamos cortisol e nosso cérebro entra no modo luta ou fuga. Isso sempre acontece quando nos sentimos ameaçados.

E aí, quando o gestor faz alguma crítica, cresce a ameaça e ficamos tensos, por isso, alguns líderes tiram o crachá nessas reuniões e fazem uma conversa mais tranquila, começando por outros assuntos e falando primeiro dos pontos positivos, para depois, quando funcionário estiver mais relaxado, fazer críticas construtivas.

Lívia Netto.

Share This Post
Dê sua opinião:
0 0

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>