Tem dias que não acordamos com a energia tão pulsante.

Bate aquela vontade de ficar um pouco mais na cama, de assistir à série que está em alta e que ainda não vimos nem o trailer, de não ter que pensar na roupa e muito menos nas tarefas que nos esperam.

Enfim, dias em que não faltam desculpas para trocar a ação pelo ócio. Faz parte!

Só que a vida não nos permite fazer tais escolhas e precisamos manter a rotina e cumprir com nossas obrigações.

E ainda bem que seja assim, afinal se fosse diferente, muito facilmente nos renderíamos aos prazeres e tentações nada construtivos, que nos levariam a um ciclo pouco saudável e produtivo.

Quando perceber que a energia está mais baixa e prestes a te sabotar, pense num avião que está prestes a decolar. 

Ainda que ele não seja influenciado por emoções, ele precisa de energia para funcionar de forma segura, independente de qualquer oscilação meteorológica, desgaste, carga, etc.

Você sabe a velocidade que um avião precisa para sair do chão? Para voos comerciais, essa velocidade varia entre 200 e 280 km/h, mas existem muitas variantes que influenciam nesse número: temperatura do ar, densidade, umidade e altitude do aeródromo vão mudar essa velocidade.

Segundo  o piloto Fernando De Borthole, em matéria realizada pelo Canaltech: “Para o avião poder sair do chão, a força de sustentação tem que ser maior que o peso do avião. Quanto maior a velocidade, mais sustentação a asa vai gerar, e mais fácil ele será puxado para cima por ela. Quanto mais pesado o avião, mais pista ele vai precisar para poder decolar, pois vai demorar mais para chegar à velocidade ideal ao seu peso de sustentação”.

Dentro dessa analogia, importante refletir: o que necessitamos para decolar e atingir nossa força de sustentação? 

Quem não se conhece bem, dificilmente saberá o que precisa fazer para se abastecer do que é necessário e se afastar do que compromete sua estabilidade.

O autoconhecimento é fundamental para podermos inserir em nossa vida os elementos que nos ajudem a gerar mais energia de arranque para iniciar o dia,  e de sustentação, para manter-nos equilibrados e motivados.

Conhecendo bem o que nos ajuda e o que nos prejudica, fica mais fácil configurar uma rotina que se cerque de elementos que aumentem e irriguem nosso sistema de bem-estar (alimentação adequada, sono, exercícios, lazer, espiritualidade, etc.) eliminando, por outro lado, o que drena nossa disposição e entusiasmo (pessoas e ambientes tóxicos, estresse, abuso de álcool, drogas, etc.).

Além disso, fundamental fazermos as paradas obrigatórias (férias) e as manutenções e checagens regulares (check up médico) que aumentam a longevidade e segurança do equipamento.

As turbulências podem até surgir ao longo do percurso, mas com tudo revisado e programado, não passarão disso! 

Bora checar nosso sistema de controle e ajustar tudo para os próximos voos? Esse avião parte a cada manhã que se inicia! Como você vai decolar daqui para frente?

 

Claudia Taulois – Publicitária, Escritora e Founder da engaging.com.br