Muitos acreditam ser impossível alcançar a plenitude. Outros acreditam que a plenitude só será alcançada quando se chegar ao reino dos céus.  Mas o que muitos desconhecem é que é possível alcançar a Plenitude em vida, sim. Vamos refletir!

A Plenitude é um estado de ser, um estado de liberdade, um estado de totalidade, um estado de completude. Quando falo em estado me refiro ao SER, no aspecto psicológico e espiritual e não no aspecto de TER sucesso, riqueza e fama.

Ser plena, significa entender que sou uma pessoa inteira em minha personalidade. Significa dizer que integrei todos os aspectos de quem eu sou. Integrei meus pensamentos,  minhas emoções,  minhas dores, meus conflitos, meus traumas, minhas crenças,  integrei meu corpo. Significa dizer que integrei ao meu SER partes de mim que antes eram desconhecidas. Significa dizer que integrei aspectos sombrios da minha personalidade que antes acreditava que me definiam, mas que ao me conhecer entendi que esses aspectos não condiziam com quem eu sou.

Se tornar plena significa alcançar a totalidade de Si mesma. Significa integrar o que está no inconsciente à consciência.  Significa alcançar um estado de  liberdade interior, um estado de total integração do próprio SER.

Parece impossível não é!? Mas é real, sim. Esse estado de plenitude pode ser alcançado sim. Há um caminho, uma estrada que leva a essa fonte. Lá a água é perene, jorra como a nascente de um rio. Lá há fôlego de vida, um fogo que não se apaga. Há força, vigor, alegria, bem-estar, paz.

Você deve estar pensando:

— isso é impossível!

Mas eu lhe digo, é possível sim! Eu já estive lá. Já percorri esse caminho. Já bebi dessa fonte. Já alcancei o estado de totalidade do meu ser, integrando toda minha escuridão a minha consciência.  Já superei a dor que assolava a minha alma. Já me libertei das correntes que me aprisionavam. Já resgatei a minha verdadeira essência.

Você deve está se perguntando como alcancei tal estado de plenitude e por certo, ainda duvidando de que seja possível.

As pessoas têm uma ideia errada sobre a plenitude.  Acreditam que serão plenos quando forem ricos, bem sucedidos, famosos ou se comprarem uma casa grande e carros caros. Não! A Plenitude  nada tem a ver com o TER. Não estou dizendo que você não possa ter tudo que citei acima. Sim, você pode! A construção de um legado, de um império é uma necessidade intrínseca a todo ser humano e uma forma de contribuir com a humanidade também.

A plenitude nada tem a ver com o ter e sim com o SER. Você pode ser rico, famoso, bem-sucedido, mas chegará o momento que estas coisas não serão mais suficientes,  sua alma gritará das profundezas do seu ser e dessa voz que clama não há como fugir.

Existe um processo nomeado de INDIVIDUAÇÃO,  termo cunhado pelo psiquiatra suíço Carl G. Jung. Jung viveu esse processo na meia-idade e alcançou a totalidade do seu SER. Eu vivi esse processo na casa dos 40 anos. Hoje com 44 posso dizer que me sinto plena. Mas foi preciso percorrer um caminho em busca de mim mesma. Foi preciso voltar atrás,  voltar ao passado, olhar para minha criança interior. Foi preciso conhecer as dores, me acolher,  cuidar das feridas e das emoções.  Foi preciso voltar a me amar, a me aceitar. Foi libertador. Olhar para a dor e não sentir mais a dor. Olhar para a dor e não sentir mais medo. Foi preciso passar pelo Vale da sombra da morte para chegar até a luz, onde está a essência,  onde reside a paz, o amor, a liberdade, o fôlego de vida que gera vigor, coragem e ânimo.

Continua sendo impossível para você!?  Então precisamos conversar. A plenitude é possível,  sim. Eu sou prova viva. Eu posso te ajudar a percorrer esse caminho. Posso te auxiliar nessa jornada. Se quiser falar comigo, me chama no direct ou clica no link que está na bio.

Giancarla Costa – Psicanalista, Colunista e Especialista da Engaging